Jovem comemora aniversário de 18 anos doando sangue

A maioria dos jovens, ao completar 18 anos, têm como primeira iniciativa providenciar a documentação necessária para obtenção da CNH, a Carteira Nacional de Habilitação. Muitas vezes isso acontece no dia do aniversário em que se completa a maioridade.

Mas, a história que vamos contar é bastante diferente e inspiradora. Terça-feira, 23 de fevereiro de 2021. A coordenadora técnica do Banco de Sangue de Sertãozinho atende a ligação de um jovem relatando que completaria 18 anos no dia seguinte e desejando confirmar se, a partir disso, ele já poderia doar sangue. “Ele parecia ansioso para realizar a doação. Eu confirmei que sim, completando os 18 anos ele poderia doar sozinho, sem necessidade de acompanhamento de um responsável legal, e ele me disse que viria no dia seguinte”, relata a profissional Nathália Maia Vanzella Trevisan Mendes.

E qual foi a surpresa da equipe do Banco de Sangue quando, na quarta-feira, dia 24, Lucas Juan Viana de Souza, com 18 anos recém-completos, realmente se apresenta para doar sangue e, assim, comemorar a chegada de sua maioridade. “Eu nunca tive dúvidas. Sempre falei: quando eu completar 18 anos, a primeira coisa que vou fazer será doar sangue”, conta Lucas, que já havia doado sangue logo que completou 17 anos, acompanhado da mãe – jovens com 16 e 17 anos podem doar sangue voluntariamente, apenas uma vez ao ano, desde que estejam devidamente autorizados e acompanhados pelo responsável legal.

Morador do Jardim Santa Marta, em Sertãozinho, Lucas conta que cresceu numa família muito envolvida com ações sociais, e que teve dois grandes estímulos para se tornar doador de sangue: a mãe, que é doadora, e o tio, que faz hemodiálise e, com frequência, necessita de transfusões sanguíneas. “Doar sangue é muito acessível, é rápido. Com poucos minutos que você dedica do seu tempo, é possível salvar vidas. Então, eu penso que os jovens deveriam se propor a viver essa experiência”, reflete o doador.

O jovem Lucas Viana, que deu exemplo de solidariedade e compromisso social, ao celebrar seu aniversário de 18 anos doando sangue voluntariamente
Crédito: Divulgação

Lucas concluiu o ensino médio no ano passado, trabalha desde os 16 anos por meio de um programa de jovens aprendizes, e vai iniciar cursinho pré-vestibular mirando no sonho de se tornar psicólogo. Encerrou esta entrevista com a seguinte frase: “daqui a dois meses, no dia 24 de abril, se Deus quiser, estarei no Banco de Sangue para doar novamente”.

A diretora do Banco de Sangue de Sertãozinho, Drª Rita de Cássia Lopes Pacca, reforça a importância dos jovens terem interesse pelo ato solidário de doar sangue. “É um comprometimento com várias vidas que podem ser salvas por único doador, ao longo dos anos em que ele estiver apto para doar. Em tese, um homem saudável pode doar sangue até 4 vezes num período de 12 meses. Assim, dos 18 aos 69 anos, se não houver intercorrências, um único doador pode salvar até 816 vidas. É algo muito grandioso. Esse exemplo do Lucas é maravilhoso e merece ser reconhecido e divulgado”, observa.

Para doar sangue, basta comparecer ao Banco de Sangue de Sertãozinho e apresentar RG. O horário de funcionamento foi ampliado desde o final do ano passado: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h e das 14h às 17h, e aos sábados, das 7h às 13h.

O Banco de Sangue de Sertãozinho fica à rua Epitácio Pessoa, 1.401 – Centro. O local segue todas as normas sanitárias contra a Covid-19 para atendimento aos doadores, incluindo o distanciamento físico e o uso obrigatório de máscara e álcool em gel.

Dúvidas sobre a doação podem ser esclarecidas no site (bssdoesangue.com.br) ou nas redes sociais da instituição (Facebook e Instagram – @bssdoesangue).

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Eu aceito a Política de Privacidade